Tarde fria...

Na estrada de terra
segue trôpega com sua bengala,
batendo de um lado para o
outro, a solitária da noite.
Seu semblante pálido,
olhar vazio,demonstrava
em seu rosto a dor
da desilusão, e a
descrença que a vida lhe
dera como experiência e lição.
Cantarolava uma música
com voz firme,
apesar da idade,
uma melodia linda e triste,
pois falava de um grande amor.
O tempo não a fez esquecer,
pois sabia que o amor era eterno
e sincero naquele grande
coração que nasceu e viveu
para amar.
Deixava pra trás as
mazelas da vida
congeladas no tempo e espaço,
onde as desilusões não
teriam vez.
Caminhava e pensava com alegria na
sua infância e adolescência.
Estampava em seu semblante
um doce sorriso misturado
às grossas lágrimas
que não conseguia disfarçar.
Lembranças e saudades
eram fortes.
Sussurrando a meia voz
bem lentamente, mas feliz.
“Uni, Du, Ni ,Tê
salamê mingüê
O sorvete colorê
o escolhido foi você”...

Luiza Helena Guglielmelli Viglioni Terra
23/10 2010

 

::: Menu ::: Voltar :::

Envie essa Página  

 

Tube: @nn_tdstudio

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys