De longe ela o observa e
parecia não acreditar que o
mesmo destruíra seus sonhos
e uma dor dilacerava
seu frágil ser que era consumido e
aos poucos se apagava .
Ela chora... se entristece...
vê seu mundo misturar
no murmurar do rio caudaloso
percorrendo a correnteza,
ora forte...ora fraca...
seguindo sem rumo, debatendo nas
pedras e barrancos e desaguando na grande
cachoeira parecendo entoar
uma melodia cujo som fluía como
magia , suavisando a grande dor.

Luiza Helena Guglielmelli Viglioni Terra



::: Menu ::: Voltar :::

 

Envie essa Página  

 

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys