7o Encontro Estadual de Escritores


Participei, com a minha esposa Luiza Helena, do 7o Encontro Estadual de Escritores, realizado na cidade de Cambuquira, Minas Gerais, nos dias 08, 09 e 10 de julho de 2004.
Cambuquira é uma das cidades do "Circuito das Águas" de Minas Gerais, famosa por suas águas minerais, consideradas da melhor qualidade. Viveu seus dias de glória até à época em que o jogo foi proibido no país. A partir daí, entrou em um período de decadência, assim como as demais estâncias hidrominerais do Estado. Vimos um prédio abandonado de um imenso hotel, o "Elite Hotel", que espelha este fato.
Comenta-se agora que Cambuquira voltará a viver dias de prosperidade com investimentos estrangeiros em um hotel que está sendo restaurado.
Mas, de qualquer forma, Cambuquira é uma bela cidade, típica do Sul de Minas, com seu "Parque das Águas", sua baixa temperatura nesta época do ano, seus hotéis, seus doces e queijos saborosos, sua localização privilegiada e sua gente simpática e acolhedora.
Chegamos ao Hotel Santos Dumont, onde nos hospedamos e onde se realizou o Encontro, no dia 07/07, quarta-feira. O Hotel possui três andares, mas é imenso no sentido horizontal, com corredores que parecem não ter fim. Possui um grande restaurante e um grande salão, onde se realizou o Encontro.
Ao chegar, fiquei logo conhecendo o Coordenador do Encontro, Adolfo Maurício Pereira, um senhor entusiasmado e dinâmico, com muitas idéias e também um avançado sentido prático, para colocá-las em ação.
No dia 08/07, quinta-feira, realizou-se a sessão de abertura, às 14 h, com a presença de diversas autoridades.
Logo em seguida, houve o painel "Poesia Musicada", sob a coordenação de Adolfo Maurício Pereira, poeta, contista e organizador do Encontro, tendo como moderadores, Hugo Pontes, poeta, Wagner Torres, poeta e editor e Petrônio Souza, cronista. Foram apresentados poemas de autoria de famosos poetas que foram musicados, como "Vaca Estrela e Boi Fubá", de Patativa do Assaré, "Tirana", de Castro Alves, "Rosa de Hiroshima", de Vinícius de Moraes, "Prece Cósmica", de Cassiano Ricardo, "A Língua do Nhem", de Cecília Meirelles, "Notícia", poemas de Augusto dos Anjos e Dantas Motta, "Zorongo Gitano", de João Cabral de Melo Neto e "Canteiros", de Cecília Meirelles.
Todos foram comentados por Adolfo Maurício Pereira, e entrou em debate a questão "poemas x letras de música". Hugo Pontes citou Manoel de Barros: "o sentido normal das palavras não faz bem à poesia". Ele insistiu em que "a estrutura do poema não é feita para ser música". Comentou também que "gostaria de ser um bom letrista pois viveria de direitos autorias, mas sou poeta e meus livros não vendem."
A amiga Ignez Montepulciano deu sua opinião abalizada, dizendo ser contra quaisquer radicalismos.
Às 19 h, houve o espetáculo cênico-poético "Poemas de Corte", com os poetas Luiz Edmundo Alves e Wilmar Silva, que foram muito aplaudidos.
Em seguida, houve uma apresentação musical e coquetel.
No dia 09/07, sexta-feira, às 9 h, tivemos "Escrevendo Fora dos Eixos", apresentado por Chico Lopes, escritor, jornalista, tradutor, comentarista de cinema e programador do Instituto Moreira Salles, tendo como moderadores Aníbal Albuquerque, escritor e professor universitário e Wilma Campos Avelar, escritora e acadêmica.
Chico Lopes foi enfático ao dizer da dificuldade que enfrentam os escritores que não possuem o privilégio de residirem no eixo Rio-São Paulo e citou diversos exemplos de grandes escritores que não conseguiram um "lugar ao sol", simplesmente por viverem em cidades interioranas, mais especificamente, no caso, na região Sul do Estado de Minas Gerais. Adolfo Maurício Pereira não concordou inteiramente com esta afirmativa, citando o seu próprio caso, em que sempre conseguiu vender os seus próprios livros.
Às 10:30 h, tivemos "Cecília Meirelles – Canção Centenária", apresentado por Suely Lindalva Fonseca de Vilhena, mestra em literatura, escritora infantil, poeta, coordenadora do curso de letras da UNINCOR, com os moderadores Milton César Pontes, poeta e Guiomar Paiva Brandão, escritora infantil e poeta. A memória de Cecília Meirelles foi reverenciada neste evento, baseado em uma tese defendida pela mestra Suely, com diversos poemas das diversas fases da grande Cecília sendo relembrados com emoção.
Ás 14 h, "Literatura Infantil", apresentado por Guiomar Paiva Brandão, escritora que recebeu importantes prêmios por seus livros infantis, que comentou sobre a sua rica experiência nesta área, e "Personagens Mulheres na Literatura Infantil", apresentado por Francisca Cristina Alvarenga, poeta, professora e mestranda em letras e Daianna Basílio de A. P. Neves, mestranda em letras. A primeira está defendendo uma tese sobre a escritora Guiomar Paiva Brandão e comentou sobre a sua escolha e sobre a tese em si. A segunda comentou, entre outros assuntos, sobre o escritor Monteiro Lobato e o existencialismo expresso na sua literatura infantil, proibida durante muitos anos pelo Regime Ditatorial de Getúlio Vargas e pela Igreja, e de como a personagem Emília seria o alter-ego de Monteiro Lobato, pois ela afrontava todos os valores estereotipados do Sítio do Picapau Amarelo.
A mestranda Daianna comentou sobre diversos outros contos infantis famosos, demonstrando argúcia e conhecimento. A amiga Ignes Montepulciano, por sua vez, se levantou para opinar sobre o assunto em pauta, esclarecendo que sob o ponto de vista da Teoria Psicanalítica de Carl Gustav Jung, os personagens dos contos de fadas buscam o caminho da individuação, tema de que ela trata em seu livro "Fadas e Bruxas – Um Caminho para o Crescimento Interior", recebendo muitos aplausos e despertando o interesse da mestranda Daianna.
Às 15 h, tivemos "Política Nacional do Livro", mesa-redonda com Lenir José da Silveira , professor e diretor-pedagógico da UNINCOR e Sérgio Lara Leite, economista, escritor e jornalista.
ÁS 16 h, "Imprensa Interiorana e Literatura", mesa-redonda com diversos diretores-proprietários de jornais da região. Durante este evento, o auditório esteve com pouca freqüência, o que provocou a intervenção do coordenador do Encontro, Adolfo Maurício Pereira, comentando que os escritores deveriam estar presentes naquele momento, para defenderem as suas posições e direitos perante os representantes dos principais jornais da região. Comentou-se, entre outros assuntos abordados, que o Sul de Minas precisa buscar uma identificação própria, que a imprensa do interior é fonte primária de pesquisa histórica (Hugo Pontes), "se você quiser ser universal, escreva sobre sua aldeia". Sérgio Lara Leite disse que o jornal "O Patriota", da cidade de Baependi, foi fundado pelo seu avô em 1916 e, atualmente, ele, Sérgio, é o seu diretor-proprietário.
No dia 10/07, sábado, às 9 h, houve "Literatura e Identidade Regional", apresentado por Bergson Cardoso Guimarães, poeta, escritor, professor, promotor de justiça e acadêmico, que tratou de diversos temas, entre os quais, citou o autor de "Ciência com Consciência", Edgar Morin, que fala da Religação dos Saberes, que a Literatura é superior à Ciência, pois o romance fala da Condição Humana, daquilo que as Ciências Sociais não conseguem abarcar; Felix Guatarri e as "Três Ecologias"; a importância da literatura, pois ela é a antena da raça; Victor Frankl, fundador da Logoterapia, "O Sentido da Vida".
Às 10:30 h, "Homero e a Enciclopédia da Tribo", apresentado por Plínio Fernandes Toledo, filósofo, professor universitário, escritor e tradutor.
ÀS 14 h, "A Obra de Braz Schediak sob a Ótica Backtiniana", mesa-redonda sob a coordenação do Curso de Mestrado em Letras da UNINCOR. Participação dos Mestrandos Lisa Paula Vilela, Camila Neves L. Melchior, Sérgio André de Carvalho e Daniela Naback.
Às 15 h, "A Arte como Fundamento da Civilização", apresentado por José Ortiz Camargo, jornalista, escritor, professor e apresentador de televisão.
Durante o Encontro, eu distribui folhetos com divulgação do Portal CEN – "Cá Estamos Nós", uma apresentação escrita por mim e o questionário para ingresso no Portal CEN. Colocamo-nos, eu e a Luiza, à disposição dos que quisessem esclarecimentos a respeito, e esclareci que como o tempo era curto, os interessados poderiam, através da Internet, entrar no website e preencher o questionário pela Internet.
Além da amiga Ignez Montepulciano, estiveram presentes no Encontro as amigas Graça Ribeiro, Lygia Di Lorenzo e os amigos Tadeu Terra e Francisco Firmo.
No domingo, 11/07, tivemos o grato prazer de visitar em Varginha, cidade próxima, as residências da Graça Ribeiro e seu esposo Rogério, da Lygia Di Lorenzo e a bela e imensa fazenda desta última.

 

[Menu] [Voltar]

Envie essa Página  

Todos os meus textos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais - LEI No. 9610,
de 19 de fevereiro de 1998, e pelos tratados e convenções internacionais.
Respeite os direitos dos autores, para que seus direitos também sejam respeitados.

Contato com Autor: Abílio Terra Junior

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys

Melhor Visualizado em:1024x768