ORFEU, EURÍDICE, A MORTE DE ORFEU E HEURTEBISE

"A Morte do Poeta tem que se sacrificar para que ele se torne imortal."
(Do filme "Orfeu", dirigido por Jean Cocteau)

Nos caminhos mínimos contra o vendaval, eu retorno sobre meus passos, guiado por Heurtebise, que é comandado pela "Minha Morte". O que foi, não é mais.
A Morte e Heurtebise são presos, julgados pela Corte. Não podem mentir.
De onde vêm as ordens? Ninguém sabe.
Orfeu e Eurídice voltam ao tempo e ao espaço, eles morreram e não morreram. A "A Morte de Orfeu" se enamorou dele, e Heurtebise por Eurídice, mas tudo acabou, o tempo voltou, tudo voltou.
Todos os poetas erraram, eles odeiam Orfeu porque ele é popular.
Atravessando o espelho, Orfeu conhece a "Sua Morte". Ela o observa à noite, ela o ama. Orfeu a ama e ama Eurídice.
Ele ouve as palavras do poeta que morreu, pelo rádio. Orfeu diz que cada frase que ouve é maior que todos os seus poemas.
Porque temer o vazio? Esse vazio antes do poema, confie nos deuses, nas musas.
As Bacantes destroem Orfeu, elas são muito poderosas, elas gostam de Eurídice.
Os outros poetas não entendem que o poeta morto foi levado pela "Sua Morte" e acusam Orfeu e provocam a sua morte, enquanto os ajudantes da Morte em suas motocicletas atropelam Eurídice (depois de atropelarem e matarem o outro poeta).
Não há tempo ou espaço no outro Reino (o da Princesa, que é também a "Morte de Orfeu").
Há mortes velhas e novas, diz ela, e são muitos os guardiões, tantos quanto os sussurros do vento ou as folhas por ele levadas.
Os olhos de Eurídice e os de Orfeu se encontram através do espelho retrovisor do carro e Eurídice desaparece no mesmo instante!
Orfeu diz a Heurtebise: - eu cantei a morte tantas vezes, mas não a conhecia – enquanto olha, emocionado, para o corpo inanimado de Eurídice que jaz sobre a cama.
Coloque as luvas, Heurtebise diz a Orfeu, e você atravessará o espelho como se ele fosse água.
A prisão aqui é pior ainda! A "Morte de Orfeu" e Heurtebise são levados pelos guardiões e vemos as suas sombras desaparecerem na curva.
Filme " Orfeu" (Orphée), direção: Jean Cocteau. Com Jean Marais, Maria Casares, François Perier, Juliette Greco.
Sugestão: leiam o poema "O Nascimento do Poeta", no eBook "De Passagem...Deslizes", no endereço www.hotbook.com.br/poe01atj.htm , que trata desse mesmo tema.

 

[Menu] [Voltar]

Envie essa Página  

Todos os meus textos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais - LEI No. 9610,
de 19 de fevereiro de 1998, e pelos tratados e convenções internacionais.
Respeite os direitos dos autores, para que seus direitos também sejam respeitados.

Contato com Autor: Abílio Terra Junior

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys

Melhor Visualizado em:1024x768