A INDIVIDUALIDADE

Sigamos em frente, junto à humanidade. É uma multidão enorme.
Os sons dos instrumentos repercutem pelo mundo, levam à crença em um mundo melhor.
Seguimos atentamente cada nota, cada nuance musical, transpomos o umbral do nosso próprio coração frente à dor, à angústia.
Limites nos são impostos, mas nossa crença persiste. Nosso espírito perpassa universos, crises locais, mundiais.
Nem sempre serenos, muitas vezes em dúvida, construímos cada minuto das nossa vidas com alegrias, tristezas, nossa obra – lição que Beethoven nos legou, ao ouvir a sua 5a. Sinfonia.

"Não se importe se disserem que você é louco ou diferente. É bom ser diferente."
Johnny Depp

Johnny Depp poderia ganhar US$50 milhões, mas prefere agir do seu jeito e fazer o que considera melhor, de acordo com o seu ponto de vista. Já trabalhou em filmes sem ganhar nada.
Mora na França, se casou com uma atriz francesa.
"Quando dirigi o filme "Bravo", a história de um índio que se sacrifica pelo seu povo, o filme foi bem recebido no Festival de Cannes. No dia seguinte, um jornal ‘acabou’ com o filme e as pessoas mudaram de opinião. É incrível como as pessoas precisam ouvir outras opiniões, pois não têm opinião."
"Eu nunca dei importância ao sucesso, mas sempre tive muita determinação. O sucesso tem muito a ver com a ganância americana, isso de "me dá, me dá, me dá."
Quando filmou "D. Juan de Marco", Johnny Depp fez amizade com Marlon Brando, pois ambos são defensores dos direitos dos índios americanos, e muito respeitados por estes.
Ele foi desconstruindo a sua imagem de galã (construída no início da sua carreira, quando participou de uma série de TV), ao longo dos seus filmes, conscientemente.
Escolhe sempre projetos longos e difíceis.
Considera a paternidade uma experiência mais importante que todos os seus filmes.
Perseguido pelos "paparazzi", não deixava por menos, dando respostas atrevidas e, certa vez, como não atendessem ao seu pedido para se retirarem, chegou às vias de fato, agredindo-os com um pedaço de madeira.
Participou de um conjunto musical, quando bem jovem. Sempre quis voltar à música, dedica-se, sempre que pode, à música e à pintura.

Só, você está só, não percebeu ainda? Esperar o quê... de quem?
Não espere nada de ninguém, não deposite suas esperanças em ninguém.
Deposite as esperanças em você mesmo, acredite que você pode fazer, convença-se de que você está só e siga seu caminho.
Acredite que você pode amar, que você pode criar.
Não se desespere, busque novas saídas, ou entradas. Se esta porta está fechada, procure uma outra, que pode estar aberta.
É neste ambiente abafado, é nesta noite sem fim, é neste vazio sem fundo, que escreve e pensa nas necessárias perdas, no que sonha fazer, perder, ganhar.
E nos dias que se escoam, nas noites que se vão... sua mente, presente, e o que diz seu coração? Chega de enganos e de frustrações, siga o que a vida lhe dita nesse momento precioso. Nem sempre o melhor caminho é o que se diz ser o acertado.

[Menu] [Voltar]

Envie essa Página  

Todos os meus textos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais - LEI No. 9610,
de 19 de fevereiro de 1998, e pelos tratados e convenções internacionais.
Respeite os direitos dos autores, para que seus direitos também sejam respeitados.

Contato com Autor: Abílio Terra Junior

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys

Melhor Visualizado em:1024x768