nos seus cabelos castanhos
levados ao vento
na tarde que cai
sobre seu riso branco
no desânimo
que mata o sentimento

eu me sinto
que vou a cada momento
a um abandono
a um desejo morno

à uma cidade
em que vagam
lembranças vãs
tragada pelas dunas de areia
que lembram
seus seios doces rosados
à espera dos meus lábios

as palavras de areia
seguem em corredeiras noturnas
nos levam nos cegam
nos entorpecem
fustigam nossos rostos
ao limbo dos esquecidos
que nunca se encontram
para sempre perdidos

Abílio Terra Junior
14/01/2006

  Envie essa Página

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys


Imagem Top:Getty Images.com