Num horizonte perdido
arrastando suas sandálias,
uma mulher solitária
segue às ruas sem rumo.
Semblante abatido pelo desgosto,
caminha tentando entender
o porquê de tanto sofrimento.

O destino, só lhe prega peças,
que num palco...
seria loucura!
Tristonha segue adiante e
fica pensando:
porque é considerada
louca e insana.

Louca!
será de tanto amar...
ou louca por tantas desventuras.
É a louca do cerrado,
que, quando chega a noite
quer morrer!

Pelas ruas desertas
caminha sem parar.
Não olha pra trás,
segue seu rumo.
caminhando,
vai resmungando...
porque a chamam
de louca e insana?

Cansada não sabe porque
a vida é ingrata e
só lhe prega peças.
Porque louca!
louca em quê!
Louca ou insana,
Só quer amar.

Luiza Helena G. V. Terra


[Menu] [Voltar]

Envie essa Página  

 

 

Tube: F-NOV2007-20

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys