Suave - Graça Ribeiro


Nas asas do tempo sobrevôo versos
E percebo que já não sou o que fui

Deixei para trás a tristeza que fazia
um ninho envolto em letras soltas

Havia poesia mas o sentimento
amarrava as sílabas e chorava

Hoje meu vôo é suave

Escuto a cantoria das folhas
lambendo as gotas de orvalho

percebo a suavidade da lua
tocando a luz das estrelas

Sei que já não sou o que fui
fui tanta gente!

Sei que não sei o que serei
ainda penso e quero ser tanto!

Hoje meu vôo é suave
o destino incerto
e a vida
leve

16.05.05


*********************************************

Jogo Marcado - Graça Ribeiro


Ela sai do dicionário
buscando sentidos

Com o olhar em fúria
acaricia as sílabas

O verbo mantém a ordem.
Triste, o adjetivo chora.

É tudo um jogo:

As cartas marcadas
o limite das palavras
a poesia do tempo

a ilusão que consola
a letra que sobrevive
ao ponto final.

As marcas da vida
são pedaços de sonhos
limitados por vírgulas.


*********************************************

Humana Estrela - Graça Ribeiro
Para Abílio Terra Júnior


Muito antes da vida ser
percepções cósmicas cruzavam
ares e mares submersos

Escuras cavernas
úmidas de sombras
faziam tremer as bases

O medo impedia a libertação.
Na garganta o profundo
silêncio do tempo

O caos interior
embaralhava as letras
e o verbo se perdia
no coração das palavras

Explodiu o Big-Bang
e suaves pensamentos
libertaram voz e luz

Nascia a Humana Estrela.
O sinal da Vida
à revelia do Nada

N. A . Poema baseado no conto
A Propósito de Abílio Terra Júnior

 

Envie essa Página  

 

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys

Melhor Visualizado em:1024x768