As folhas caem amareladas,
é o Outono chegando com
sua suavidade.
A neblina densa encobre o morro
deixando no ar um mistério na pequena Vila.
Bem no centro dessa Vila um
casebre rústico iluminado à luz de vela,
na janela estreita uma jovem sem
pestanejar olhava com olhos ternos
para o infinito em busca de sua história.
O vento soprava forte, as árvores
balançavam de um lado para outro
cujas folhas caiam suavemente
como se bailassem no ar.
Ela não via e nem sentia o tempo passar,
mas sentia sua solidão em cada folha que caia,
na neblina que ofuscava sua visão,
na estrela distante com seu brilho fosco.
Todo aquele frio,
vento e neblina não
impedia a vontade de ir até a Taberna
cuja música era irresistível e
sabia que era um chamado.
Saindo de casa caminhava
lentamente e sentia seu coração
bater fortemente.
Entrou na Taberna
e olhou de um lado para o outro,
ficou parada por alguns instantes.
Em sua direção um homem de meia idade,
cabelos grisalhos, alto, aproximou-se
dela com um sorriso e abraçou-a
ternamente sussurrando em seu
ouvido ”Eu te amo”.


Luiza Helena Guglielmelli Viglioni Terra
22/04/2009


::: Menu ::: Voltar :::

 

Envie essa Página  

 

 

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys