No Momento

nada

lenta e confusamente
procuro o veículo
aporto em uma pequena livraria
já escureceu

tomo um café expresso
a mulher loura
deitada no passeio
espera a ambulância

não há motivo pra pânico
o encontro enfim
em uma minúscula ilha
em que pessoas surgem do tempo
e uma mulher observa o por do sol

é tempo de festa ou de tristeza
muitos pulam muitos choram
o tempo passa
mas estou no momento
no tropel de muitas lutas
e muitas letras de muitas línguas
entre tantas cores penso na magia
que me valeu em plagas antigas

Abilio Terra Junior
18/06/2006 1:20 h

**************************

Seres Robotizados
Nadir A D’Onofrio

Texto inspirado no poema MOMENTO do Amigo Poeta
Abílio Terra Junior

O ser e seu olhar de poeta
Saboreia café, vê crescer versos
Na moderna livraria,
Ostentando prateleiras vazias...

O ocaso preguiçoso
Atém caminhantes
Que andam sem rumo
À procura do nada...

Ou talvez, na lotérica da esquina
Compre o sonhado bilhete
Tentando a sorte grande!
Serão eles humanos?

Ou já estão robotizados?
Não os percebo decididos
Ávidos de sabedoria
Vontade ferrenha.

Vejo fisionomias entristecidas
Corpos esquálidos
Descrença, desmotivação
Falta patriotismo.

Pobres filhos dessa nação!
E o que resta ao poeta
Que vê beleza em tudo?
Ah! se não fosse a imaginação...

18/06/2006 23:22
Santos SP

[Menu] [Voltar]

Livro de Visitas

Envie essa Página  

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys