O Grupo

Como encontrara aquele grupo? Por acaso. Lá estava ele junto deles, rapazes e moças em sua maioria, uma e outra pessoa de média idade, sentados naquele auditório. Gabriel, na faixa dos trinta anos, era bem divertido. Bom observador, versátil, sabia como atrair a atenção. Propunha discussões bem produtivas sobre assuntos que despertavam o interesse de todos. Dali, o grupo se dirigia a outros locais, ao ar livre, como parques, praças, jardins, ou em recintos fechados, museus, escolas, universidades.
Ele, Antonio, chegou de mansinho, assim como quem não quer nada, e, aos poucos, despertou o interesse com sua presença de espírito, humor, cultura, bom relacionamento com todos, sem discriminação.
Naquele momento, em uma quadra de esportes, assistiam a um jogo de vôlei, dois times formados por membros do próprio grupo. A certa altura, Gabriel, que observara que Antonio era alvo da atenção das mulheres, que se encontravam do outro lado da quadra, se dirigiu a ele, indagando do que fizera ao longo da vida, quais suas preferências em diversas áreas, o que pensava a respeito do que faziam, e assim por diante. Antonio percebeu que Gabriel era inteligente, e que, apesar da sua versatilidade, se interessava em trocar idéias com Antonio, pois percebia que este era mais experiente, e que ambos poderiam lucrar com aquela troca. Quando descobriu que Antonio poetava, seus olhos brilharam. Declarou-se também poeta, abriu um dos seus cadernos, com alguns dos seus poemas, e os mostrou a Antonio. Este observou que o rapaz era talentoso também nessa área, e lhe mostrou também alguns dos seus poemas, que provocaram a admiração de Gabriel. Trocaram muitas idéias sobre o tema, ilimitado em si mesmo e, a partir daí, iniciaram uma intensa troca de poemas. À medida que os escreviam, os traziam ao grupo, o que despertou o interesse da maioria. Diversos membros do grupo, tanto os mais jovens como os mais velhos, se interessaram sobre como escrever poemas, os mistérios desta antiga arte que surgiu no início dos tempos, e, ao aprenderem, também passaram a poetar, e, então, surgiram novos talentos, e a poesia passou também a ser uma das atividades desenvolvidas pelo grupo.
Com o passar do tempo, membros do grupo passaram a ler os seus poemas em público, em locais em que pessoas se aglomeravam para ouvi-los. E, então, entre os ouvintes, alguns se interessavam, e, com o tempo, também se tornaram poetas. Antonio era o mais feliz, pois sabia que esta luz que se irradiava dos corações, almas e mentes, iluminava muitas vidas com ardor, intensidade, intuição, criatividade, e provocava a troca de energias interiores, até então adormecidas, entre o consciente e o inconsciente.

Abilio Terra Junior
20/04/2011

 

[Menu] [Voltar]

 

Envie essa Página  

 

Todos os meus textos são protegidos pela Lei de Direitos Autorais - LEI No. 9610,
de 19 de fevereiro de 1998, e pelos tratados e convenções internacionais.
Respeite os direitos dos autores, para que seus direitos também sejam respeitados.

Contato com Autor: Abílio Terra Junior

 

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys

Melhor Visualizado em:1024x768