a madruga me observa
o sono passeia
minha mente vagueia
entre a lucidez e a tensão
me pergunto se há caminhos
que me conduzam à luz
o silêncio observa o que escrevo
apoiado nos meus ombros
os meus planos desaparecem
diante de outros
minha alma desce até o limbo
esquecida de si
osdaimons me dizem escreva
cochicham entre si
um símbolo reluz
seguido por outros
trevas e luz intercambiam-se
no meu coração
penso ser o maestro
de uma orquestra de notívagos
seres que mudam suas formas
todo o tempo

Abilio Terra Junior
22/07/2013


Menu ::: Voltar ::: Envie essa Página

::: CrysJuanGráficos&Design :::