agora não podes divagar
após o ato consumado
e tergiversar como uma borboleta
de flor em flor
com palavras e mais palavras

pois te esvaíste em um longo sussurro no deserto
e a flor sedenta se transubstancia
em um esplendor sereno e compreensivo

nada mais esperes te entregues
à momentânea tensão que se foi

observes os retângulos das paredes
e o canto do pássaro que pousa displicente
sobre um frágil galho que invade a janela

a atmosfera ora pesada ora leve
se insinua nos poros
um sorriso surge e um olhar sedoso
observa teus cabelos
que se espraiam e se avolumam

a cada instante em que a vida
se declara presente e vitoriosa

os jogos foram-se um a um
e resta agora um momento
de imponderável sensibilidade

dúvidas e certezas espalham-se
e ganham a janela entreaberta

Abilio Terra Junior
30/04/2007

 

[Menu] [Voltar]

Envie essa Página

Tube:Suzi Sgai

Midi:Il Postino

Criação de Gráficos e Páginas:
Webmaster e Designer:Crys